Divagação sobre viagens e antropologia

Me permitam uma pequena viagem.

Eu vou falar sobre viagens e o que elas tem a ver com antropologia, na minha cabeça.

Quando eu viajo, eu me ausento um pouco de mim, do meu cotidiano, do meu lugar comum. Mas não é um se perder por aí… é um se achar no estrangeiro.

É algo inusitado esse conhecimento de si a partir da observação do outro. Mas é mais ou menos assim como se a gente se visse de fora, quando observa uma pessoa e se identifica com ela.

Qual é a fonte?

A photo posted by Thiago Esser (@thiagoesser) on

@ Ametista

A photo posted by Thiago Esser (@thiagoesser) on

É um prazer voyeurístico que supera a vontade de protagonismo, por simples prazer de fruir o teatro de rua da vida. Até que a gente se misture, porque não tem graça — e não é justo com o outro — só fazer observação não-participativa da vida.

Fazer um estudo antropológico, sair de si sem se perder, é coisa que é possível nessas situações de deslocamento.

Porque o importante é ter liberdade

A photo posted by Thiago Esser (@thiagoesser) on

Tem estilo, o entalhador. @ Ametista

A photo posted by Thiago Esser (@thiagoesser) on

(Fotos: Viagem recente ao noroeste do RS)

Deixe uma resposta +

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s